Notícias - UniAtenas

Novembro Azul: a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata

Considerado o tipo de câncer mais comum entre os homens, o câncer de próstata gerou 68.220 novos casos em 2018 no Brasil. Embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento muitos homens preferem não buscar orientações sobre esse assunto.

Neste Novembro Azul, na série "Conectados com o Professor" desta semana, a professora do curso de Medicina da Faculdade Atenas-Passos e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP), Sabrina Thalita dos Reis Faria, aborda as causas, sintomas e tratamentos do câncer de próstata. 

O câncer de próstata é uma neoplasia maligna que afeta a próstata, glândula localizada abaixo da bexiga e que é responsável pela produção do líquido seminal. A professora ressalta que essa doença representa 13,5% das neoplasias diagnosticadas mundialmente. "O câncer de próstata é a quinta maior causa de morte por câncer no mundo", afirma.

Conforme explica a professora Sabrina, a doença é causada por três principais fatores de riscos: 

- Idade: o risco aumenta com o avançar da idade. 

- Hereditariedade: o histórico familiar de pai ou irmão com câncer de próstata aumenta o risco do desenvolvimento dessa doença de três a sete vezes.

- Grupos raciais: estudos afirmam que negros tendem a desenvolver o câncer de próstata de forma mais agressiva. 

O rastreamento do câncer de próstata é realizado por meio do exame PSA (Antígeno Prostático Específico) e do toque retal.  A professora afirma que é importante associar o exame PSA com o toque retal, pois o PSA pode identificar outras doenças da próstata. Quando se tem um PSA alterado e um nódulo identificado pelo toque retal, indica-se a biópsia, que é um método de diagnóstico do câncer de próstata. Quando diagnosticados com a doença, os homens podem estar com o câncer ainda localizado, o que aumenta as chances de cura.

"O câncer de próstata localizado não tem nenhum sintoma associado, então é necessário que os homens comecem o rastreamento a partir dos 50 anos. Entretanto, os negros e pessoas com histórico familiar de câncer de próstata ou de mama na família, devem iniciar esse rastreamento cinco anos antes", ressalta. 

Como mensagem final, a professora Sabrina reforça a importância do rastreamento para a saúde masculina: "Uma vez que o tumor é detectado em sua forma localizada, ele tem quase 100% de chance de cura, através da cirurgia ou da radioterapia, então o rastreamento pode salvar a vida dos homens".